Fernando Nicolau é capixaba, brasileiro, latino-americano, artista visual e da cena.

 

Formado pela Escola de Teatro e Dança - FAFI (ES) e pela Casa das Artes de Laranjeiras - CAL

(RJ), como ator. Formado pela Faculdades Integradas São Pedro - FAESA (ES) e pós-graduado

pela Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM (RJ), como comunicólogo.

 

Trabalha como diretor de cena, de elenco, de arte, iluminador, cenógrafo e desenhador gráfico.

 

Dirigiu, iluminou, cenografou e criou o projeto gráfico dos espetáculos "Capivara na luz trava"

(2012), "Se eu fosse Iracema" (2016), "Histórias de uma Margarida" (2017), "Mundo Afora:

Meada" (2018) e "Touro Branco" (2021).

 

Foi indicado, por "Se eu fosse Iracema", em 2017/2018, aos prêmios Shell [Rio de Janeiro],

APTR [Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro], Cesgranrio de Teatro e

APCA [Associação Paulista de Críticos de Arte].

 

De março a dezembro de 2019 participou - como diretor, técnico e facilitador da oficina

“Dramaturgia da luz” - da 22a. Edição do Palco Giratório (SESC) com o espetáculo "Se eu

fosse Iracema".

 

De março a julho de 2021 realizou a sua primeira exposição individual, "Descolonizar o

imaginário", em Vitória/ES. Dando continuidade à pesquisa, realizou em novembro e

dezembro de 2021 a exposição "Descolonizar o imaginário – Volume 2", também em

Vitória/ES.